Por que anã, se coxa?!

Baladas masculinas têm sempre alguma história engraçada ou bizarra… Vou contar uma que ouvi outro dia, e digam vocês em qual desses dois termos ela se encaixa.

A turma de amigos, de São Paulo, resolveu passar o final de semana numa cidade do interior, não muito longe da capital.

Galera de vinte e poucos anos no máximo… Os moços chegam à cidade e descobrem que pegar as mais gostosas é tarefa difícil. E não porque elas não querem dar para eles, mas porque os caipiras ficam loucos de ciúmes e qualquer paquera errada vira briga… Se cantam uma garota que tem namorado ou noivo, a diversão pode acabar mesmo em tragédia. 

Depois de beber muito (porque certas coisas só cheio de álcool), um dos gatinhos – na minha opinião o mais bonito e gostoso da tchurma – resolve pegar uma coxa.

Bonita e coxa?! NÃÃÃO!!! Essa aí é a do clássico Memórias Póstumas de Brás Cubas, do nosso memorável Machado de Assis.

Na histórinha aqui foi bem pior… Anã e coxa!!!

Por que anã, se coxa? Por que coxa, se anã?

Afe… Ao menos alguém nessa história se deu bem: a anã coxa!


1 Comentário

  1. é assim mesmo! Gostei demais do bom-humor!


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s