Por que brochou, brochou por que?

Quem nunca passou por uma situação em que uma brochada simplesmente acaba com a transa, certamente um dia passará.

A pergunta que não quer calar é:

Por que brochou, brochou por que?


A tendência da mulher é sempre achar que a culpa é dela.

“É porque estou três quilos acima do peso”

“É por causa da minha celulite”

“Culpa da minha depilação, que não estava em dia”

“É porque minha bunda e meus peitos não são tão grandes e gostosos quanto parecem quando coloco essas lingeries com enchimento”

Bull shit!

Esses pensamentos são fruto da maldita herança dessa cultura machista!

Mulherada, relaxa!!!

Já falei com vários homens a respeito e nenhum mencionou nenhum desses fatores como causa para o não-funcionamento do pau.

Além disso, inúmeras moças impecáveis – e consideradas perfeitas, pelos padrões de beleza vigentes – já relataram terem passado por essa situação constrangedora.

E por que acontece então?

Por zilhões de fatores.

Eis alguns deles:

Nervosismo,

pela forma com a qual a história de vocês os levou para a cama;

Ansiedade,

ao se ver diante de uma presa desejada há muito, muito tempo;

Insegurança,

por estar com uma mulher que o cara considere muita areia para o caminhãozinho dele;

Inexperiência,

especialmente com uma moça notadamente mais rodada e entendida;

Cansaço,

porque um homem exausto e extremamente estressado pode querer a todo custo te comer, mas a pica dele não responder;

Embriagez,

sim, porque a “canjibrina” interfere sim nos mecanismos que garantem uma ereção;

Disfunção erétil,

que é o nome da doença que acomete aqueles que brocham com frequência mesmo não se enquadrando em nenhuma das situações acima descritas.

Que fazer, oras bolas?

Se o problema do bofe for nervosismo, ansiedade, insegurança, inexperiência, cansaço ou embriaguez, o casal pode trabalhar junto para vencer esses obstáculos. A solução, portanto, é bem mais fácil.

Agora se o lance for uma doença mesmo, cabe ao moçoilo procurar ajuda médica. O quanto antes, melhor.

Por pior que possa parecer, há cura e solução.

Pode até levar um tempo, mas vocês chegam lá.

 

LEIA TAMBÉM:

Como encarar uma brochada?

Brochada na certa

Careca ou brocha: quem escolhe é você


2 comentários

  1. Fala, Donna, blz?
    Encontrei seu blog porque estava pesquisando sobre “meia-bomba”. É… Já que o post é de brochada, nada melhor que um testemunho real a respeito, não?

    A primeira vez, brochei quando vi os seios da garota, acredita? rsrs Sei que vai parecer maldade, mas não foi. Juro! Talve pense que eu seja fresco. Pode ser. Até eu cheguei a pensar isso, rs.

    A gente estava no motel se pegando nervoso. Eu, com uma ereção em 110%. Louco! Eis que então tiro o sutiã dela. Na hora em que vi os seios dela, me veio instantânea e automaticamente os belos e perfeitos seios de minha ex-namorada. Os dessa garota, que já era mãe, eram bem caídos. Mas não eram apenas caídos, eram murchos. Bem murchos. E foi isso que fodeu! Ou melhor, que não fodeu, né? rsrs

    Na hora meu pau amoleceu. Nem deu pra disfarçar. Daí em diante, eu só pensava na minha ex-namorada. Em como ela era bem mais gostosa, bem mais perfeita e tals. Obviamente que isso não foi voluntário. Eu não queria pensar nela. Queria comer a mina lá, pô! Mas não sei, a comparação foi inevitável.

    E aí? Aí chupei a mina na tentativa de voltar à ativa — porque meu pau se estourava todo só de chupar minha ex, que tinha uma buceta linda, gostosa e cheirosa. Pelo amor!

    Mas não adiantou chupá-la. Meu pau voltou um pouquinho e tentei meter mesmo meia-bomba. Consegui. E dentro dela ele reanimou, chegou a 100% de ereção. Mas a mina não sabia transar. Ficava mexendo junto comigo (isso porque era eu que estava por cima ¬¬’), e o movimento dela coincidia com o meu e meio que meu pau ficava parado lá dentro! uheauheahueahuae “Pára de mexer, porra! Deixa eu meter”. Aí já viu que foi uma merda a transa.

    Na segunda vez em que brochei, houve um conjunto de fatores: i) insegurança da garota, que não me deixava nem tocar seus seios e que repetia um certo receio por transarmos na quarta vez em que saíamos; ii) cansaço de minha parte; por ela enrolar muito, a gente só chegou às pré-eliminares quase no amanhecer, rs; iii) o fator crucial: vontade de urinar, acredita? Até chegarmos às pré-eliminares, levamos cerca de 3 a 4 horas, e na hora em que chegamos, minha bexiga encheu. E na hora de meter, somando tudo, eu sentia mais a bexiga que minha glande. Aí não deu literalmente, rs. Meu pau nem meia-bomba conseguiu ficar.

    ——————-

    Bom, Donna, queria parabenizá-la pelo blog e dizer que virei um leitor permanente dele =)

    Sucessos.

    • Q maravilha saber q vc se tornou leitor assíduo! Fico mega feliz. O primeiro caso eu entendo, sabe. Cada vez mais fica mais claro pra mim a importância do visual para os homens. Mas o segundo e de f..der,né! Caracas, como pode ter nos dias de hj mulheres q dão mole desse jeito? ninguém merece…preciso escrever um post sobre isso. bjbjbjs


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s